terça-feira, 9 de julho de 2019

Delta do Parnaíba e Barra Grande - Roteiro de 7 dias


O Delta do Parnaíba e Barra Grande fazem parte da Rota das Emoções, um roteiro que vai dos Lençóis Maranhenses até Jericoacoara. Fizemos a parte da Rota que vai de Parnaíba a Jericoacoara. O passeio ao Delta do Parnaíba foi incrível e a vila de Barra Grande é um charme. Uma das coisas que nos encantou foi o fato de o turismo de massa não ter chegado na região, como está acontecendo em Jeri. Estivemos lá há 13 anos e achamos tudo diferente. Embora continue sendo um lugar belíssimo, ela perdeu muito do seu charme de vilinha rústica. Encontramos esse clima em Barra Grande.


Quando ir: A alta temporada vai da 2a quinzena de junho até a 1a quinzena de dez. O tempo fica firme e os ventos perfeitos para a prática de kitesurf.  O turista nacional aproveita as férias de julho, a melhor época para visitar a região, pois a vila não fica tão cheia. De agosto até o fim da alta temporada a cidade é invadida por europeus. No resto do ano o tempo fica instável e pode chover a qualquer hora. Mas não costuma chover o dia todo. 
Viajamos na baixa temporada. O problema é que Barra Grande fica vazia. A maior parte dos bares e restaurantes funciona, mas você não vai ver aquele céu colorido pelas velas dos praticantes de kitesurf e a vila fica deserta à noite. Além disso, o mar fica mais escuro e com algas. Em compensação, os preços de hospedagem caem pela metade. Minha dica para quem fizer o roteiro na baixa temporada é que tente encaixar Barra Grande no fim de semana, quando há mais movimento.


Como chegar: a única companhia que voa para o pequeno aeroporto de Parnaíba é a Azul e só tem voo aos sábados. Ele chega às 14h35 e parte às 15h05. Os aeroportos de Jericoacoara (3h) e de Teresina (5h) são os mais próximos com voos regulares de outras empresas.


Locomoção: embora haja linhas de ônibus em Parnaíba, os horários não são regulares. Para visitar as praias pode ser uma opção, mas não aconselho ir para Barra Grande, pois a viagem de 1h é feita em ônibus comum. O melhor é usar táxi ou alugar um carro. Há lojas da Hertz e da Localiza em Parnaíba. O problema é que elas fecham no sábado ao meio-dia e só retornam na segunda. Ou seja, você terá que pegar o carro na segunda e entregar no sábado bem antes do horário do voo.
Uma boa opção para quem viaja sozinha ou em dupla é usar o serviço compartilhado da empresa Rota Combo, que funciona entre as cidades da Rota das Emoções. Ela oferece transfer desde os Lençóis Maranhenses até Jericoacoara em dias alternados. Ou seja, você precisa planejar o deslocamento de ida e volta nos dias de transfer. Eles colocam todas as informações no site e a reserva pode ser feita online.
Você também pode contratar um transporte privativo. A partir de 3 pessoas já vale a pena.
Preços de transfer entre Parnaíba e Barra Grande:
Veículo privativo: R$180,00 o carro para até 5 pessoas.
Veículo compartilhado (Rota Combo): R$65,00 por pessoa.
*Preços de maio/2019

Onde ficar: em Parnaíba aconselho ficar próximo ao Centro, pois a região das praias é distante do local de início do passeio ao Delta e não tem vida noturna. Se você fizer questão de se hospedar na praia, procure um hotel na vila de Coqueiro. Ficamos no hotel-boutique Casa de Santo Antônio, no centro de Parnaíba. Lindo, confortável e com atendimento impecável. Foi o melhor hotel da viagem. A vila de Barra Grande é pequena e está repleta de pousadas no estilo rústico-chique. Todas ficam a uma pequena distância da praia e da rua principal. Se você quiser vista para o mar e ótima estrutura, uma boa opção é a BGK. Eles têm a própria escola de kitesurf e um bar de praia excelente. Também gostei do La Plage, na rua principal. Ele foi construído em estilo grego. Tem quartos amplos, piscina e um rooftop com vista para a praia que costuma abrir para não hóspedes nos fins de semana. Ficamos na La Cozinha, que também recomendo. É menor e muito aconchegante. Você se hospeda em confortáveis cabanas espalhadas pelo jardim. Tem piscina e um dos melhores restaurantes da vila. No fim do post falo detalhadamente da nossa experiência nos dois hotéis.

Casa de Santo Antônio

La Cozinha
Alimentação: Peixe, camarão, caranguejo e mariscos frescos são a base da culinária local. A gastronomia vai do simples peixe grelhado até pratos sofisticados feitos com ingredientes regionais. A moqueca parnaibana, a torta de caranguejo e o caldo de sururu (espécie de marisco) são alguns exemplos de pratos típicos. Não deixe de experimentar as frutas nordestinas, como cajá, tamarindo, caju, e a cajuína, espécie de refrigerante que eu acho que só tem no Piauí.

Caldo de Sururu


Compras: em Parnaíba você pode visitar a Casa das Rendeiras dos Morros da Mariana, que fazem lindos trabalhos em renda de bilro. Não é um passeio oferecido pelas agências, mas vale a pena conhecer um pouco dessa tradição passada entre gerações. Fica em Ilha Grande, no caminho para o porto dos Tatus, de onde sai o passeio para o Delta.

Planejei um roteiro de uma semana só no Piauí, que você pode ajustar para incluir Jericoacoara e/ou os Lençóis Maranhenses. Pode confiar, você vai se surpreender.


Dia 1 Sábado 
Pegue o voo da Azul para Parnaíba. Ele sai do aeroporto de Viracopos-SP no sábado às 11h10 e chega em Parnaíba às 14h35. Táxi do aeroporto para o hotel: 30 reais. Reservamos com um taxista indicado pelo hotel.
Parnaíba é a segunda maior cidade do Piauí, mas o centro tem cara de cidade pequena. Lá você encontra bancos, mercados e agências de turismo. Ela serve de base para o passeio do Delta. Tem boas opções de hospedagem e restaurantes. Mas não espere encontrar uma mega estrutura turística.


Aproveite o fim do dia para ver o pôr do sol na praia da Pedra do Sal. À noite o ponto de encontro é no Porto das Barcas, região com bares à beira rio.


Dia 2 Domingo
Passeio para conhecer o Delta do rio Parnaíba, que fica na divisa entre os estados de Piauí e Maranhão. Nós fins de semana há barcos grandes que saem pela manhã para um tour com almoço e música. O preço é melhor, mas o barco é lotado e barulhento. O melhor é fazer o passeio nas lanchas chamadas voadeiras.  Você pode alugar uma para um tour de dia inteiro ou escolher entre o passeio da manhã com parada para almoço e o da Revoada dos Guarás que sai à tarde. Escolhemos fazer apenas o passeio da tarde, que acredito ser o melhor. Reservamos no hotel com a agência Clip (http://clipecoturismo.tur.br/) e foi ótimo.



Vou colocar aqui o itinerário dos dois.

Opção 1: Tour de dia inteiro pelo Delta do Parnaíba
O passeio começa no Porto dos Tatus, que fica na cidade de Ilha Grande há 20 min. de Parnaíba.  Lá você embarca em uma lancha rápida e segue por estradas fluviais que passam entre as mais de 80 ilhas que compõem o Delta do Parnaíba. Até o encontro do rio com o mar é 1h de passeio em meio a uma paisagem pitoresca, onde você observa pássaros, caranguejos e uma rica vegetação.


Que tal comer ostras frescas colhidas na hora? Ė possível. Descobrimos que há criação de ostras no Delta. Depois você pode almoçar na ilha das Canárias. Os restaurantes mais indicados são o da pousada Casa de Caboclo (http://www.casadecaboclo.com/o-restaurante.html), que é a melhor opção de hospedagem para quem quiser dormir no Delta, e o Osvaldo. Após descansar do almoço, siga de barco para o outro lado da ilha das Canárias, que é formado por dunas e lagoas. Do alto das dunas você avista o mar. Lindo demais!




O grand finale é a revoada dos guarás ao pôr do sol, quando centenas de pássaros vermelhos voam para uma pequena ilha que escolheram como dormitório.  Um espetáculo!




Opção 2: Visita ao centro histórico pela manhã e passeio de barco à tarde
Faça apenas a Revoada dos Guarás com parada na ilha das Canárias para banho. Ele sai às 14h do hotel. Pela manhã você pode dar uma volta pelo centro histórico da cidade. Não está muito preservado, mas para quem gosta vale a pena. Em uma hora você conhece.


A Catedral de Nossa Senhora da Graça e a pequenina igreja de Montserrat, a mais antiga da cidade (1711).



Jantar: sugiro o Caranguejo Expresso para provar a torta de caranguejo, prato típico da região. Para algo mais sofisticado vá ao Mangata, considerado o melhor da cidade, ou faça reserva no restaurante do Hotel Casa de Santo Antônio. A moqueca parnaíbana é dos deuses.


Dia 3 Segunda
Pegue o carro cedo na locadora e faça o roteiro pelas praias ou um tour ao Parque Nacional das Sete Cidades (2hs), que guarda pinturas rupestres dos primeiros habitantes da região.
Se não alugar o carro, reserve o passeio com um taxista ou agência. Para visitar as praias de Atalaia e Coqueiro, em Luis Corrêa, você pode ir de ônibus.

A praia de Atalaia é boa para banho. Ela conta com estrutura de bares e um calçadão. Pena que estava tudo com aparência de mal cuidado. É a mais popular. Nas férias de julho os teresinenses lotam o local. Fora da temporada fica quase deserta e o Restaurante Carlitos é um dos únicos que abre o ano todo.


A vila de Coqueiro é um pequeno balneário a 30min de Parnaíba. Praia bonita e boa para banho. Os restaurantes são pé na areia e mais simpáticos que os de Atalaia.


Dia 4 Terça 
Siga para Barra Grande há 70km de Parnaíba. A estrada está ótima, só tenha atenção com os animais na pista. Dá pra pegar o caminho pelo litoral e ir parando nas praias. Atalaia, Coqueiro, Itaqui e Macapá são as mais conhecidas. Se for de transfer privado você pode negociar fazer o passeio das praias terminando no seu hotel em Barra Grande.


Lagoa do Portinho, no caminho para Barra Grande.
Essa vila praiana com ruas de areia tem praia de mar calmo com água quente, e excelentes opções de hospedagem e gastronomia. Ela ganhou fama internacional como destino para a prática de windsurfe. Com os turistas, veio também uma leva de pousadas charmosas e ótimos restaurantes. Você se surpreenderá com esse lugar ainda pouco conhecido pelos brasileiros. Essa será sua estadia até o fim da viagem. Aproveite o resto do dia na praia e não perca o pôr do sol. Inesquecível!




Dia 5  a 7 Quarta, Quinta, Sexta
Aproveite a praia e a vila. Há vários bares pé na areia. O mais famoso é o BGK, point do pessoal do kite. Outra opção é passar o dia no Bob Z, resort de praia onde você paga uma consumação mínima e pode usar a estrutura do hotel. Fica há 2km de Barra Grande no lugarejo chamado Barrinha. Se quiser fazer um passeio tem a observação de cavalos marinhos que você pode contratar na própria pousada. Você também pode fazer um curso de kitesurfe. As aulas são cobrada por hora.




Dia 8 Sábado
Volta para casa. O voo de volta sai 15h05 de Parnaíba e passa por Teresina (chega 15h45). Caso você esteja de carro alugado, provavelmente terá que devolvê-lo até meio-dia no centro de Parnaíba. Aproveite para almoçar e depois pegue um táxi até o aeroporto.

Obs: Para quem alugar carro, outra opção de roteiro é dividir a estadia em Parnaíba para passar a última noite lá. O tour pelas praias e/ou no Parque Nacional de Sete Cidades poderia ser feito na ida ou volta de Barra Grande. Ficaria assim:
Dia 1: Chegada em Parnaíba.
Dia 2: Passeio pelo Delta.
Dia 3: Retira o carro na locadora e vai para Barra Grande.
Dia 4 a 6: Barra Grande.
Dia 7: Retorna para Parnaíba e entrega o carro.
Dia 8: Volta para casa.

Custo dos passeios (os preços são de maio/2019):

Delta do Parnaíba

Tradicional
Sai às 9h30 e retorna às 14h30. Há parada para almoço e banho mas não inclui a revoada dos guarás.
Coletivo: R$70,00 por pessoa com almoço
Privativo: R$350,00 pelo barco para até 5 pessoas. Almoço não incluído. 

Revoada dos Guarás
Só tem Privativo. Passa pelo Delta com parada para banho na Ilha das Canárias. Preço: Pagamos R$170,00 por pessoa na agência Clip por indicação da pousada. O aluguel do barco para até 5 pessoas: R$450,00.

Alternativa: alugar uma lancha privativa para passar o dia e conjugar os dois passeios. Preço: R$800,00 na Clip. Um morador da cidade nos disse que indo ao porto você consegue negociar por menos.

Tour pelas praias
Visita as praias do Atalaia, Coqueiros, Itaqui e Macapá. Preço: R$350,00. Incluindo Barra Grande o passeio custa R$400,00.

Dica de transfer: como não conseguimos combinar nosso itinerário com os dias de transfer coletivo da Rota Combo, tivemos que fazer todos os deslocamentos de forma privada. Por indicação do hotel conhecemos o Júnior, que é taxista e tem uma pequena agência de turismo. Os carros são novos e bem equipados. Ele nos levou de Parnaíba para Barra Grande e depois para Jericoacoara de 4x4. Passamos por dunas, atravessamos rios em balças e paramos para almoço na Lagoa Grande, próximo à Tatajuba. A viagem foi ótima e já valeu como um passeio. Ele é super tranquilo, prestativo e pontual. Segue o contato: 86 9484-5233.

Nossa hospedagem

Hotel Casa de SantoAntônio: é o tipo de hotel que dá vontade de voltar. Instalado em um lindo casarão antigo cuidadosamente reformado e modernizado para receber o hóspede com todo o conforto. Decoração agradável,  roupa de cama e banho de qualidade, cama confortável, chuveiro bom, ar condicionado funcionando bem, tudo perfeito. A piscina em meio ao jardim é um oásis. Mas o que faz a hospedagem inesquecível são os funcionários. Simpáticos e atenciosos, nos deram várias dicas da cidade e providenciaram passeios e transfer. Mimos como um doce de boa noite, chá da tarde e até um lindo bolo de aniversário com direito a parabéns, também fizeram toda diferença.  Para completar, a chef de cozinha do restaurante é maravilhosa. Desde o café da manhã até o jantar, tudo delicioso. Localização central. Ótimo custo- benefício. A internet funcionou bem. Recomendo fortemente.



Barra Grande

La Cozinha: é um lindo hotel-boutique próximo à rua dos restaurantes e há 5min da praia. Os quartos ficam em cabanas individuais espalhadas pelo jardim. São confortáveis e bem decorados. O ar condicionado não estava funcionando bem no quarto em que ficamos e eles nos mudaram imediatamente. Tem uma piscina grande. Café da manhã bom e funcionários prestativos. A internet é o ponto fraco, muito inconstante. Pegava melhor no restaurante. Mas parece que esse é um problema em toda Barra Grande. O restaurante é um dos melhores da vila. Ótima opção para ficar em Barra Grande.


Restaurantes testados e aprovados

Parnaíba

Caranguejo Expresso - serve uma torta de caranguejo muito gostosa. Mas é um lugar simples. Divide um espaço aberto na Beira Rio com outros pequenos restaurantes. Dizem que quando está cheio o serviço é demorado, por isso convém ligar para encomendar.


Barra Grande

La Cozinha - considerado um dos melhores da vila. Comida com um toque de sofisticação usando ingredientes locais e de sua horta orgânica. No jantar pedimos o ceviche de entrada e como prato principal o pargo e o fettuccine com frutos do mar (dá para dividir). No almoço eles têm um menu de 3 pratos com ótimo preço.




– esse é outro restaurante muito recomendado. Vale a pena provar. Ele fica dentro da pousada Titas, escondido em uma rua paralela à principal. O espaço é lindo e a comida saborosa. O atendimento foi muito simpático. Inclusive para tirar nossas dúvidas sobre os pratos feitos com ingredientes regionais que não conhecíamos. Dividimos duas entradas e um prato principal. Tudo ótimo e bem servido.



BGK – para curtir a praia, o bar do hotel BGK é o mais estruturado. Você pode escolher ficar em espreguiçadeiras na areia ou em mesas de madeira na parte coberta. A comida é boa e o atendimento simpático. Eles possuem até uma escola de kitesurfe ao lado do restaurante para quem quiser se aventurar no esporte.


Pirata – outro bar de praia que recomendamos. Ele é novo e ainda não estava totalmente montado. Faltavam colchonetes para as espreguiçadeiras e os chuveiros de água doce estavam em construção. Mas tem uma decoração bacana, cardápio com boas opções e funcionários simpáticos e prestativos. Acredito que será um dos melhores da vila.



Sr. Kalango Foodpark - bem no centrinho da vila tem um espaço super bacana atrás da sorveteria Ora Bolas! com mesas e alguns food trucks. É uma opção mais informal para o jantar. Eles servem lanches como pizza e hambúrguer. Na alta temporada lota.