terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Vacina contra a febre amarela: como saber os países que a exigem


Infelizmente estamos vivendo um surto de febre amarela em algumas regiões do Brasil. Antes disso, alguns estados já eram considerados área com risco de transmissão da doença pela Organização Mundial da Saúde (OMS), razão pela qual vários países já exigiam na imigração a apresentação do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) para comprovar que o viajante originário do Brasil tinha sido vacinado. Agora esse número tem aumentado. Países como Panamá, Nicarágua e Cuba, por exemplo, passaram a exigir o CIVP em fevereiro.
As informações estão sendo atualizadas a todo o momento o que traz muita insegurança para quem está com viagem marcada para o exterior sobre a necessidade ou não da vacina. A questão é: onde conseguir informações seguras e atualizadas?

1) Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) – é o órgão responsável pela regulação das questões sanitárias no país e é quem emite o CIVP, o qual está previsto no Regulamento Sanitário Internacional, um instrumento elaborado no âmbito da OMS estabelecendo regras e procedimentos para proteção contra a disseminação de doenças internacionalmente. Os países que assinaram o acordo decidiram que o CIVP seria o documento apto a comprovar a imunização do viajante contra essas doenças. No site há informações sobre os países que estão exigindo a vacina, além de detalhes sobre o procedimento para emissão do CIVP. Para acessá-lo, clique aqui.

2) Portal Consular do Itamaraty - este site do Ministério das Relações Exteriores traz informações úteis para quem pretende visitar outros países, inclusive sobre a exigência do certificado de vacinação contra a febre amarela. Achei que ele está mais atualizado do que a Anvisa. Site: http://www.portalconsular.itamaraty.gov.br/

3) Empresas Aéreas – elas precisam ter essa informação para repassar aos passageiros, principalmente quando a vacina é exigida em países onde se faz conexão ou escala.

4) OMS – no site há uma lista com todos os países que oferecem risco de transmissão da doença e dos que exigem a vacina. Ela está atualizada até 2016. Clique aqui para acessar.

5) Embaixadas e consulados – A maioria dos países mantém página da representação diplomática na internet com informações de contato.

6) Sites e blogs de viagem – acho um bom parâmetro, mas tem que ver se as informações estão atualizadas. Um site que eu gosto muito e acho confiável é o Viaje na Viagem. Eles inclusive fizeram um post recente sobre o assunto. Vale a pena dar uma lida:  http://www.viajenaviagem.com/2017/02/cuba-vacina-febre-amarela

👉 Dicas importantes:
-   A vacina deve ser tomada 10 dias antes da viagem para que a pessoa seja considerada imunizada.
- O prazo de validade da vacina que era de 10 anos passou a ser considerado ilimitado pela OMS. Segundo ela, estudos recentes demonstraram que uma única dose protege a pessoa por toda a vida. No entanto, o Ministério da Saúde do Brasil entende que uma segunda dose de reforço é necessária para a imunização.
  Atualização: em março de 2017 o Brasil passou a adotar o entendimento da OMS. 
- No caso de contraindicação para o recebimento da vacina, a pessoa terá que obter um atestado de isenção emitido por um médico. Clique aqui para mais informações.
- Como a doença é típica de zonas tropicais, a vacina não deve passar a ser exigida por países da Europa ou pelos EUA, por exemplo. Por outro lado, os países localizados em áreas tropicais podem torná-la obrigatória a qualquer momento.
- Nossa sugestão: se puder, tome a vacina. Assim você não precisará se preocupar com isso nunca mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário